Este livro não está otimizado para visualização em smartphone. Sugerimos a utilização de um computador ou tablet para aceder a este livro.

Uma
HORTA
à mão
de semear
DECO PROTESTE DIGITAL
INSTRÕES DE NAVEGAÇÃO
VER A PÁGINA
SEGUINTE
VER A PÁGINA
ANTERIOR
ÍNDICE GERAL
ÍNDICE POR NOME COMUM
ÍNDICE POR DESIGNAÇÃO CIENTÍFICA
Uma
HORTA
à mão
de semear
DECO PROTESTE DIGITAL
UMA HORTA À MÃO DE SEMEAR
Título do original: Mon Potager Sur Mesure – Techniques et inspirations
© 2016 Association des Consommateurs Test-Achats SCRL
Autor: Nicole Burette
Coordenação editorial: Muriel Hertens
Tradução: Cécile Rodrigues
Revisão técnica: Nuno Mota
Projeto gráfico, capa e paginação: Gonçalo Geirinhas
Formato digital: Alda Mota e Isabel Espírito Santo
Ilustrações: ThinkstockPhotos e Shutterstock
Redação e coordenação editorial: Mariana Sim-Sim David
Diretora e editora de publicações: Cláudia Maia
Coordenador dos guias práticos: João Mendes
© 2017 DECO PROTESTE, Editores, Lda.
Todos os direitos reservados por:
DECO PROTESTE, Editores, Lda.
Av. Eng. Arantes e Oliveira, 13
1900-221 LISBOA
Tel.: 218 410 800
Correio eletrónico: guias@deco.proteste.pt
1.ª edição: outubro de 2017
Versão digital: maio de 2019
Depósito legal n.º 427768/17
ISBN 978-989-737-090-8
Impressão: Agir
Rua Particular, Edifício Agir
Quinta de Santa Rosa
2680-458 CAMARATE
Esta edição respeita as normas do novo Acordo Ortográfico.
Esta publicação, no seu todo ou em parte, não pode ser reproduzida nem
transmitida por qualquer forma ou processo, eletrónico, mecânico ou
fotográfico, incluindo fotocópia, xerocópia ou gravação, sem autorização
prévia e escrita da editora.
deco.proteste.pt/guiaspraticos
Prefácio
É um prazer cozinhar os legumes que cultivamos com as nossas
próprias mãos, condimentar pratos com ervas aromáticas acabadas
de colher ou trincar frutos frescos que plantámos no nosso quintal.
O sabor daquilo que cultivamos e colhemos com as nossas mãos é
incomparável e este pequeno prazer está mesmo à mão de semear;
basta munir-se com algum equipamento e informação.
Neste livro encontrará conselhos, técnicas e fichas práticas indi-
viduais (repartidas entre ervas aromáticas, hortaliças e pequenos
frutos), dedicadas a cerca de cinco dezenas de espécies. Trata-se de
um manual prático, acessível para principiantes, mas útil também
para aqueles que já cultivam uma horta em casa. Destina-se tanto a
pessoas que dispõem de uma grande parcela de terra, como a quem
possui um pequeno canteiro, jardim, terraço, varanda ou apenas o
parapeito de uma janela.
Os temas são abordados de uma forma fácil, traduzindo de modo
pragmático todo o conhecimento científico que está subjacente
a cada assunto. Isto porque o nosso objetivo é que seja capaz de
maximizar a sua experiência enquanto hortelão amador e não
fornecer-lhe um compêndio técnico e teórico completo.
Se se sente tentado a abraçar as lides da horticultura; aventure-se!
O primeiro passo é querer. Deixe que este manual o guie nas etapas
seguintes, da escolha das plantas à composição dos seus pratos.
Pelo caminho, obterá ainda dicas sobre como organizar a horta, que
equipamento escolher, como identificar os diversos tipos de solo e
também o que fazer para os corrigir e enriquecer.
Do que está à espera para pôr as mãos na massa (e na terra)?
9
21
59
91
Porquê cultivar uma horta?
Criar a sua horta
Dicas úteis de jardinagem
As aromáticas
8 razões para pensar e madurar
A localização
Os elementos básicos
Canteiros cheirosos
10
22
60
92
Ideias feitas
O formato
Abrigos para antecipar as culturas
Tipos de ervas aromáticas
13
26
75
93
Regras de ouro
Passar à ação
A jardinagem bio
Onde plantar as ervas aromáticas?
A instalação
Em vasos: sim ou não?
Fichas de espécie
Plantar ou semear?
As plantas aromáticas no inverno
Duas sugestões culinárias simples
17
40
77
94
95
98
102
97
98
100
218
131
220
205
Glossário
As hortaliças
Índices de espécies
Pequenos frutos
Tipos de hortaliças e principais características
Regras de ouro para uma plantação (...)
Índice por nome comum
Fichas de espécie
Índice por nome científico
132
206
220
210
222
Fichas de espécie 138
Porquê cultivar
uma horta?
Capítulo 1
10
Uma HORTA à mão de semear
8 razões para
pensar e madurar
1
Qualidade e controlo
As vantagens de plantar hortaliças para consumo próprio em casa
são inúmeras e incluem a possibilidade de controlar a cadeia de
produção, servindo assim alimentos de qualidade a toda a família.
Tenha em conta que, para garantir esse nível de excelência, terá de
apostar em fertilizantes naturais e outros produtos inóquos para
a saúde e o ambiente.
2
Frescos mais frescos
Sabendo à partida que a riqueza nutricional das hortaliças (teor de
vitaminas, minerais, etc.) começa a diminuir assim que são arranca-
das da terra, o facto de poder colhê-las à medida das necessidades
permite preservar ao máximo os preciosos benefícios que trazem
para a saúde.
O cultivo de
hortaliças permite
enriquecer as suas
refeições com
produtos plenos de
cor, sabor e qualidade
11
Porquê cultivar uma horta?
3
Uma salada de sabores
Não há gosto como o das ervilhas, das alfaces ou do tomate que
planta com as suas mãos. Para além disso, numa pequena horta
poderá cultivar legumes das suas variedades preferidas, as quais são
por vezes difíceis de encontrar no comércio tradicional por serem
muito específicas ou pouco rentáveis. Há, por exemplo, mais de 500
variedades de tomate no mundo, um número que não tem compa-
ração possível com a reduzida seleção disponível no supermercado.
4
Mente sã em corpo são
Por si só, a jardinagem faz muito bem à saúde: trata-se de uma
atividade ao ar livre que permite ginasticar todos os músculos e
articulações (das mais volumosas, como as ancas ou os joelhos, às
mais pequenas, como os dedos). Apesar do exercício completo que
proporciona, é necessário poupar as costas, sobretudo em tarefas
como carregar pesos ou manusear utensílios de jardinagem.
Por outro lado, passar longas horas em harmonia com a natureza
traz também benefícios inegáveis no plano psicológico. É uma forma
de meditação muito saudável para a mente.
5
Folga para a carteira
Um quilo de tomate comprado no comércio de retalho pode custar
€ 1 ou € 2. Um molho de plantas de tomateiro vende-se num mercado
ou feira pelo mesmo valor. Depois de crescerem, estes tomateiros
permitem colher muitos quilos do fruto, durante várias semanas.
Para tratar de uma horta, terá de fazer um investimento inicial em
ferramentas, que acaba por ser rapidamente amortizado (consulte
mais detalhes sobre este tipo de utensílios no capítulo 3).
12
Uma HORTA à mão de semear
Segundo os cálculos de L. Halsall no livro Le Guide Marabout du
Carré Potager (2012, Marabout, Verviers – Bélgica), uma horta pode
influenciar de forma muito positiva o orçamento familiar de um
agregado de quatro membros. Se comprar frutos, legumes e aromá-
ticas no supermercado, ao fim de um ano esta família somará uma
despesa de cerca de € 1620: € 1490 em legumes, hortaliças e batatas;
€ 100 em pequenos frutos e € 30 em ervas aromáticas. Já se optar
por uma horta caseira, eis o orçamento anual de que necessitará:
€ 45 para sementes, € 56 para plantas e bolbos, € 15 para tubérculos
e/ou plantas de batata, € 15 para cultivo de pequenos frutos e € 20
para ervas aromáticas. No primeiro ano de vida da horta, este agre-
gado familiar terá ainda de investir cerca de € 350 em ferramentas e
utensílios. Feitas as contas, esta segunda opção tem um custo total
estimado de € 500 por ano, permitindo uma poupança de € 1120 face
à primeira alternativa.
A horticultura
beneficia a sua
carteira e o seu
bem-estar físico e
psíquico, entre outras
vantagens
6
Deleite e distração
Tratar de uma horta, ver os legumes plantados com as próprias
mãos a crescer dia após dia, colhê-los e apresentá-los à mesa depois
de confecionados são atividades que podem contribuir para uma
maior satisfação pessoal. Para além disso, os projetos de jardinagem
permitem envolver toda a família e cativam as crianças, que, de
uma forma geral, mostram entusiasmo quando neles são incluídas.
13
Porquê cultivar uma horta?
Pode ainda ser uma forma lúdica de as iniciar numa alimentação
saudável e variada, sobretudo se reservar um pequeno espaço ou
canteiro onde possam fazer as suas próprias experiências e plan-
tações. Um pequeno truque: forneça-lhes legumes que crescem
depressa, como rabanetes e alfaces.
7
Dar uma mãozinha ao ambiente
Consumir produtos colhidos na sua horta ajuda a proteger o ambiente.
Por um lado, contribui para economizar no transporte de frutos e
legumes de países distantes até aos vários pontos de comércio locais,
e por outro representa um esforço que faz para evitar ou até eliminar
totalmente o uso de produtos químicos nocivos no solo onde cultiva.
8
Poesia e nostalgia num canteiro
Um canteiro ou horta oferece um cenário ao mesmo tempo organizado
e bravio e aviva boas memórias de experiências de cultivo anteriores.
Ideias feitas
Rouba muito tempo
É verdade que criar uma horta com uma enorme variedade de
legumes e diversas épocas de plantação e colheita é um projeto
ambicioso, que pode exigir disponibilidade quase total.
Mas o caso muda de figura se optar por organizar a horta aos pou-
cos e lhe der uma dimensão em função do tempo que pode dedicar.

APOIO AO LEITOR

Este livro está disponível para leitura em streaming.
Se tiver dúvidas, necessitar de apoio ou desejar fazer um comentário:

Em caso de questões relacionadas com o sistema de pagamentos Paperview:

[com o custo de uma chamada para a rede móvel Vodafone]

Ligações (links) úteis que sugerimos que adicione aos Favoritos, ou bookmarks, (Ctrl + D) no seu navegador internet:

Desejamos que aprecie esta nova forma de ler Livros.